Camilo acata indicação de Moisés Braz e deve enviar projeto sobre as EFAs para Assembleia

213

Durante o anúncio do resultado das negociações do Grito da Terra Brasil na manhã desta quarta, 27 de junho, junto à Fetraece, o governador Camilo Santana informou que será criado um grupo técnico com a participação de diversas secretarias do Estado, para que seja elaborado Projeto de Lei que visa o apoio a ampliação das escolas de famílias agrícolas no Ceará.

Com a medida, o governador acata sugestão do deputado estadual Moisés Braz (PT), que aprovou em maio projeto de indicação nº 10/47 na Assembleia prevendo a criação do Programa de Apoio Financeiro à Escola Família Agrícola (EFA) do Estado do Ceará.

Segundo Moisés Braz, nos estados do Espírito Santo, Bahia, Minas Gerais, Rondônia, Maranhão já existem legislações, regulamentos que tratam da relação entre o poder público e as EFAs. “O programa visa beneficiar as escolas que são gerenciadas por uma associação autônoma, composta de pais, pessoas e entidades comprometidas com o desenvolvimento da agricultura familiar”, justifica.

“A finalidade é garantir a sustentabilidade educacional e preservar o trabalho comunitário definido a partir das associações das famílias agricultoras”, explicou o governador Camilo Santana.

O parlamentar acrescenta que a EFA oferece cursos gratuitos de ensino médio, com educação profissional, aplicando o método pedagógico da alternância, assim como a formação integral do aluno, com a transmissão, inclusive, dos conceitos e conteúdos do desenvolvimento sustentável.

No Estado do Ceará, Moisés Braz destaca o pioneirismo da Escola Família Agrícola Dom Fragoso, em Independência, “que nasceu de um sonho de trabalhadores e trabalhadoras rurais ligados a Diocese de Crateús: conquistar a terra e ter uma vida decente nestes sertões, na construção do bem viver”.

Objetivo das EFAs

O objetivo das EFAs é levar a educação especializada a localidades isoladas no meio rural. Elas são administradas pelas associações familiares dos agricultores e oferecem o ensino médio nos mesmos moldes das escolas estaduais. Além disso, incluem na matriz curricular atividades relacionadas ao dia a dia do campo, como acompanhamento da safra, plantio sustentável, colheita, uso adequado de defensivos alternativos, entre outros temas. Também são oferecidos cursos técnicos na área agropecuária certificados pelo Ministério da Educação (MEC).