Moisés Braz destaca manifestações dos trabalhadores no feriado de 1º de maio

61

O deputado Moisés Braz (PT) ressaltou, durante o primeiro expediente da sessão plenária da Assembleia Legislativa desta quinta-feira (03/05), as manifestações de trabalhadores que marcaram o feriado de 1º de maio em todo o País. De acordo com ele, os protestos não foram em comemoração às conquistas alcançadas pelos trabalhadores, mas em defesa da democracia e contra a perda de direitos que a categoria está sofrendo.

Para o parlamentar, as leis no Brasil não são interpretadas e nem servem igualmente a todos. “Mesmo com a Constituição de 1988 decretando que somos iguais perante a lei, há um grupo de beneficiados pelo Judiciário, e não são os trabalhadores”, comentou.

Ele destacou a unificação da esquerda por intermédio das centrais sindicais, partidos e movimentos sociais. Também destacou que as manifestações cobraram a liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso político na sede da Polícia Federal em Curitiba (PR). “Não é preciso ser de esquerda para perceber a injustiça na prisão de Lula, a maior evidência do desmonte da democracia em nosso País”, apontou.

Moisés Braz também comentou sobre a violência no Ceará e defendeu as ações e investimentos do governador do Ceará, Camilo Santana. De acordo com ele, a violência não surgiu no governo atual, e nem se extinguirá nele.

Para ele, é preciso, entretanto, reconhecer a importância das políticas públicas que a gestão vem implantando em todo o Estado. “Não é só promoção de policial, nem só viatura, armamento, porque isso não acaba com a violência. Temos que pensar nas escolas de tempo integral, nas praças, areninhas, e todas essas políticas voltadas para a cultura e a educação, que é o que lá na frente vai tirar o jovem da marginalidade”, refletiu.

Em aparte, o deputado Nestor Bezerra (Psol) concordou que o 1º de maio não é uma data festiva. “É uma data de luta, principalmente hoje em dia, época em que nossos direitos conquistados ao longo de tantas décadas estão sendo limados um a um”, observou.

A deputada Rachel Marques (PT) também comentou que participou das manifestações em Curitiba, ressaltando a união da esquerda em defesa da democracia. “Não é um momento de divisões, e pude ver a nossa capacidade de união em meio às dificuldades. Vamos manter nossa luta pela democracia e pela liberdade do ex-presidente Lula”, disse.