Moisés Braz critica fechamento de agências do Banco do Brasil

Nenhum comentário

O deputado Moisés Braz (PT) criticou, durante o primeiro expediente da sessão plenária desta quinta-feira (24/11), a decisão do Banco do Brasil de fechar 402 agências da instituição e transformar mais 379 agências em postos de atendimento, além de encerrar 31 superintendências em diversos municípios. A reestruturação anunciada pela instituição prevê ainda a redução do quadro de pessoal em 18 mil funcionários, que terão de aderir a programas de demissão voluntária ou aposentar-se caso estejam aptos.

Segundo o parlamentar, a reestruturação proposta pelo Governo Temer atende a interesses dos grandes grupos econômicos e banqueiros nacionais e internacionais, além de refletir uma opção pela precarização dos serviços públicos e privatizações. “Não existe motivo plausível para o fechamento dessas agências bancárias. Com essa medida, os únicos prejudicados são a população mais pobre e os funcionários que serão demitidos ou forçados a se aposentar”, assinalou.

“É o Banco do Brasil que, no Ceará e no Nordeste, faz o maior número de contratações de programas de fomento, entre eles o Pronaf. Quase todas as operações no Nordeste deste programa, importante para o desenvolvimento da pequena produção, para a agricultura familiar, para a geração de emprego e distribuição de renda são efetivadas pelo Banco do Brasil” apontou.

Moisés criticou reestruturação anunciada pelo BB (Foto: Máximo Moura/ALEC)

Moisés criticou reestruturação anunciada pelo BB (Foto: Máximo Moura/ALEC)

Com fechamento das agências, segundo Moisés, a grande prejudicada será a população mais simples, entre elas os agricultores e agricultoras familiares. “É esse público que diretamente vai a uma agência do BB no município para fazer custeio, investimento e receber benefícios das políticas públicas criadas nos governos Lula e Dilma, também ameaçadas”, ressaltou.

“Para nós isso não é nada de novo. Nós já dizíamos que o povo ia perder muito com esse governo. Começou com a extinção do MDA, depois veio a PEC 241/55 e agora essa decisão de fechar agências do BB”, criticou Moisés, ao acusar o Governo Temer de não ter compromisso com o social e com a agricultura.

Para Moisés, não há motivos para fechar agências, tendo em vista os lucros de R$ 11,4 bilhões e R$ 14,4 bilhões do banco nos últimos dois anos. O parlamentar defendeu que a população fique ao lado da luta dos bancários para evitar as medidas nefastas da reestruturação, e citou decisão recente do Tribunal Superior do Trabalho que deve pôr fim à folga remunerada aos sábados dos bancários. “Não bastasse fechar agências, aposentadorias forçadas e a exclusão bancária, ainda penalizam os profissionais. Esse é o governo que muitos vieram defender como o governo da mudança. Muitos que vestiram vende e amarelo, bateram panela, estão envergonhados? Cadê esse povo? Estão satisfeitos? É isso que a sociedade esperava? Nao é esse governo que a classe trabalhadora quer”, provocou

O deputado Elmano Freitas (PT) afirmou que o Governo Federal está atacando os direitos dos servidores públicos do Brasil. “Desde o início, a estratégia era atacar os petistas para consolidar uma política de Governo que prejudica os pequenos”, denunciou.

Assessoria de Comunicação do mandato e Coordenadoria de Comunicação Social da Assembleia

, , , , , , , , , ,

Assine nossa Newsletter

Conecte-se

Menu