EFA de Independência recebe recurso do Governo Estadual

131

A Escola Família Agrícola (EFA) Dom Fragoso, de Independência, na região dos Sertões de Crateús, receberá do Governo do Estado, via Secretaria da Educação (Seduc), uma verba no valor de R$ 155 mil. O deputado estadual Moisés Braz (PT) contribuiu com parte do investimento, ao destinar uma emenda de sua autoria no Programa de Cooperação Federativa (PCF) no valor de R$ 25 mil. A informação está no Diário Oficial do Estado, edição de 18 de maio, que publicou o Termo de Fomento celebrado entre a Seduc e a Associação Escola Família Agrícola de Independência (AEFAI).

Termo de fomento publicado no Diário Oficial

Segundo Moisés Braz, o dinheiro será investido na melhoria das condições de atendimento na formação de 62 alunos matriculados, em 2018, na EFA Dom Fragoso, pois irá possibilitar a reforma e pintura na estrutura, aquisição de equipamentos eletroeletrônicos e ações necessárias ao funcionamento da unidade.

Reunião em dezembro no gabinete do deputado Moisés Braz (PT) definiu destinação de recursos para EFA

“Esta foi uma demanda que chegou até nós em 2017 pelas lideranças de Independência, entre eles os companheiros Zé Wilson, coordenador regional Nordeste da Contag, o vereador Mauro Rodrigues [PT], o hoje diretor da EFA, Rosberg Chaves, a monitora Idelzuith Borges e o coordenador financeiro Diassis Silva. Ficou acertado que nós e os deputados Elmano Freitas [PT] e Carlos Felipe [PCdoB] destinaríamos emendas do PCF para a EFA de Independência”, afirmou Moisés Braz.

O Estado aportou R$ 80 mil, enquanto cada parlamentar colaborou com uma cota de R$ 25 mil, perfazendo o total de R$ 155 mil.

Para além deste investimento, Moisés Braz defende uma política mais abrangente de valorização das Escolas Família Agrícola (EFAs). “Para isso, apresentamos um Projeto de Indicação sugerindo que o Governo do Estado crie o Programa Estadual de Apoio Técnico-Financeiro às Escolas Família Agrícola (EFAs) do Estado do Ceará, que consiste em projetos e ações integradas de iniciativa comunitária para proporcionar educação de nível médio, educação profissional de nível técnico e formação inicial e continuada a adolescentes, jovens e adultos do campo”, explicou. O projeto deve ser aprovado na sessão de quinta, 24 de maio, na Assembleia.

De acordo com o deputado, o programa visa beneficiar as escolas que são gerenciadas por uma associação autônoma, composta de pais, pessoas e entidades comprometidas com o desenvolvimento da agricultura familiar. Oferece cursos gratuitos de ensino médio, com educação profissional, aplicando o método pedagógico da alternância, assim como a formação integral do aluno, com a transmissão, inclusive, dos conceitos e conteúdos do desenvolvimento sustentável.

“O objetivo das EFAs é levar a educação especializada a localidades isoladas no meio rural. Elas são administradas pelas associações familiares dos agricultores e oferecem o ensino médio nos mesmos moldes das escolas estaduais. Além disso, incluem na matriz curricular atividades relacionadas ao dia a dia do campo, como acompanhamento da safra, plantio sustentável, colheita, uso adequado de defensivos alternativos, entre outros temas. Também são oferecidos cursos técnicos na área agropecuária certificados pelo Ministério da Educação (MEC)”, acrescenta.

Metodologia

A EFA adota a “pedagogia da alternância”, que consiste em duas semanas na EFA, onde educandos/as estudam e rezam; cuidam da casa, da horta, dos criatórios, da arborização. Praticam esportes e crescem na convivência fraterna.

Nas outras semanas, eles ficam em casa com família e a comunidade onde desenvolvem o plano de estudo, pesquisam , levantam os problemas, põem em prática as descobertas que vão fazendo.

Nesse período, tem a visita de monitores/as que, junto às famílias e comunidades, fazem o acompanhamento pedagógico.

Confira AQUI o DOE com o Termo de Fomento (Págs. 42/43)