Assembleia aprova projeto de Moisés Braz (PT) que dá nome a Escola Família Agrícola de Ipueiras

83

A Assembleia Legislativa aprovou, na última quinta-feira (31/08), Projeto de Lei Nº 118/17 de inciativa do deputado estadual Moisés Braz (PT) que denomina Padre Eliésio dos Santos a Escola Família Agrícola (EFA) no distrito de Balseiros em Ipueiras. A proposição segue para sanção do governador Camilo Santana.

Em sua justificativa, Moisés destacou a importância do Padre Eliésio para Ipueiras. “Em sua simplicidade e grandeza de espírito cativou a muitos de seu tempo deixando um legado de fé, respeito e dedicação pastoral. Trata-se, portanto, de uma justa e merecida homenagem a uma pessoa que muito se dedicou e trabalhou para o engrandecimento e desenvolvimento de sua comunidade”.

A Escola Família Agrícola (EFA) utiliza a Pedagogia da Alternância, método criado na França em 1935, no povoado de Lot et Garonne. A iniciativa de se criar a Escola Família Agrícola buscou solucionar dois problemas, relacionados às questões do ensino regular direcionado para as atividades urbanas, que levava os adolescentes campesinos a repudiar a terra, e também à necessidade de fazer chegar ao campo o desenvolvimento tecnológico.

Nessa escola os educandos estudam a leitura, a escrita, a matemática, a tecnologia e também aprendem a trabalhar com a terra, com as plantas, os animais e a conviver e se interagir com a realidade agrícola. Em suas casas, ensinam os pais a utilizarem as novas tecnologias e a maneira mais adequada de lidar com a realidade do campo.

(*) Com informações site Brasil Escola

HISTÓRIA DO PADRE ELIÉSIO

305511_322336207828690_100001569394800_902234_1774435235_n

Eliésio dos Santos (Pe. Eliésio) nasceu em 22 de julho de 1944 em Pombal (PB). Filho de Procópio dos Santos e Maria Fortunata dos Santos. Tinha seis irmãos. Na década de 60 a família veio morar em Fortaleza.

Cursou o curso primário no Grupo Escolar João da Mata, em sua cidade natal. Entrou no Seminário Menor Nossa Senhora da Assunção, em Cajazeira (PB), em 1959, onde permaneceu até 1964. Conclui o segundo grau no Colégio São Luís, anexo do Liceu do Ceará, em 1966. Já em 1970 licenciou-se em Geografia, pelo Instituto de Geociências da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Enquanto cursava a faculdade lecionou em muitos colégios de nossa capital. No início da década de 70 chegou a Crateús onde exerceu também o magistério.

Em 1973, por motivo de seu engajamento com a Diocese de Crateús, como agente pastoral, ficou preso, em Fortaleza, por 52 dias, acusado de subversão, sem qualquer fundamento para tal. Estávamos em plena ditadura militar.

Em 1974, retomou os estudos específicos para ser padre em Recife, Inicialmente no ITER (Instituto de Teologia do Recife) e depois no DEPA (Departamento de Pastoral e Assessoria).

Recebeu a ordenação sacerdotal, em 16 de dezembro de 1976, das mãos de Dom Antonio Batista Fragoso, bispo diocesano de Crateús. Desde então foi enviado como pároco de Parambu, onde permaneceu até 1979. Também, foi pároco da Paróquia do Senhor do Bonfim, em Crateús e, por último, da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em Ipueiras, até o seu falecimento.

Na Diocese, além de padre, exerceu outras funções, como: consultor diocesano; membro da equipe central do Conselho Diocesano de Pastoral; coordenador diocesano de Pastoral; dentre outras. Pertencia a Fraternidade Sacerdotal Jesus Caritas, de C. de Foucauld, incentivando a outros nesse caminho espiritual. Faleceu vítima de câncer, em Fortaleza no dia 18 de outubro de 2011.