Em Sobral, Moisés Braz participa de mobilização do #DiaNacionaldeGreve contra a Reforma da Previdência

268

O deputado estadual Moisés Braz (PT) participou na manhã desta segunda, 19 de fevereiro, em Sobral, das mobilizações do #DiaNacionaldeGreve na região Norte do Estado do Ceará. O ato, que ocorre em diversas cidades do país coordenado pelas centrais sindicais e pelas frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular, reuniu milhares de trabalhadores de municípios da região de Sobral e da Ibiapaba.

Os manifestantes caminharam pelas ruas do comércio da principal cidade da região Norte do Estado em protesto contra a proposta de Reforma da Previdência que está sendo imposta pelo governo de Michel Temer.

“Todos nós sabemos que a Previdência brasileira precisa ser reformada. Isso acontece em todo os países. Mas o governo golpista de Michel Temer está usando falsos argumentos e jogando a conta nas costas do trabalhador mais humilde deste país, incluídos os trabalhadores e trabalhadoras rurais mais pobres”, afirmou o deputado.

Segundo Moisés, Temer não discute e não enfrenta os reais problemas da previdência, entre os quais estão a enorme dívida de grandes empresas não cobradas pelo Governo, as desonerações de impostos, as fraudes e os desvios dos recursos previdenciários para outros setores.

“O déficit que o governo propaga para justificar a necessidade da reforma não é ponto pacífico nesta debate. Isso certamente não interessa a Temer e à elite econômica deste país, que querem privatizar as aposentadorias em benefício de Fundos Privados de Previdência”, asseverou o parlamentar.

Na opinião de Moisés, se for aprovada como proposta, a Reforma vai causar um desinteresse dos trabalhadores brasileiros pela previdência pública e uma migração para os planos privados, fenômeno que vem sendo observado nos últimos dois anos em virtude do impasse sobre o atual modelo proposto.

“Está claro porque o Governo Temer é golpista e não representa os trabalhadores. Em pouco tempo de governo, ele avançou sobre direitos constitucionais com a PEC que limitou o Teto de Gastos em Educação, Saúde e Segurança, e isso também é motivo para o caos no sistema de segurança pública nacional. Aprovou a Lei das Terceirizações e a Reforma Trabalhista que precarizam ainda mais as relações de trabalho e fragilizam até a busca dos direitos pelo trabalhador na Justiça. Agora tenta manobrar para tentar reaver popularidade em cima da crise da segurança no Rio de Janeiro e assim aprovar a Reforma. Por isso tudo, somos contra esse governo corrupto e ilegítimo e não podemos aceitar mais esse golpe dentro do golpe”, concluiu o parlamentar.

 

#queromeaposentar