Assembleia aprova recurso para Projeto de Mandalla no Ceará

617
Modelo de produção “Mandala” desenvolvido por um grupo de agricultores familiares no povoado Vila Nonata, no município de Arame. Foto: Divulgação

A Assembleia Legislativa do Ceará aprovou nesta terça, 12 de dezembro, a transferência de R$ 200.000,00 para o Programa de Desenvolvimento da Agropecuária Familiar – Produção de Mandalla. O recurso vai beneficiar 24 associações de 18 municípios com a implantação de 31 mandallas.

A produção de Mandalla beneficia agricultores familiares organizados em associações, produtores familiares assistidos e assentados em projetos públicos com perfil para desenvolver ações na produção agropecuária.

Os municípios beneficiados são: Campos Sales, Cascavel, Cruz, Pentecoste, Itapipoca, Tejuçuoca, Amontada, Milhã, Banabuiú, Piquet Carneiro, Itatira, Independência, Parambu, Quiterianópolis, Arneiroz, Aiuaba, Alto Santo e Iracema.

Segundo o secretário do Desenvolvimento Agrário, Dedé Teixeira, o projeto Mandalla é uma forma de agricultura auto-sustentável que gera bons resultados no Estado do Ceará. “O projeto utiliza recursos próprios, aproveitando ao máximo os elementos naturais, como água, vento e sol. Além de todos os benefícios, a mandalla ainda gera um solo com grande fertilidade”.

Atualmente, a Secretaria do Desenvolvimento Agrário já implantou 417 mandallas em todo o Estado do Ceará. O projeto é desenvolvido desde 2008.

Projeto Mandalla

Coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA) e executado pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (EMATERCE), o Projeto de Produção Integrada Mandalla Ceará tem como principal objetivo apoiar à agricultura familiar na atividade agrícola de produção e comercialização de alimentos, por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

Garantindo a ocupação e renda para agricultores familiares, criando condições de permanência no campo e promovendo a inclusão no processo produtivo durante todo o ano, o projeto também visa contribuir para o resgate da dignidade humana, eliminação de desperdícios, capacitação e treinamento dos envolvidos, reintegração social, exercício da cidadania e convivência harmoniosa com o meio ambiente.

Assessoria de Comunicação da Secretaria do Desenvolvimento Agrário

Marina Filgueiras – marina.filgueiras@sda.ce.gov.br
André Gurjão – andre.gurjao@sda.ce.gov.br